G.R.B.C. MEU BEM, VOLTO JÁ! CARNAVAL 2015: O parangolé do galo na terra do sol.


meu bem sol

Enredo: O parangolé do galo na terra do sol: não contavam com nossa astúcia, Meu Bem!

Carnavalescos: D’Abreu, Estevão e Jorgito.

Depois de 51 anos de uma boa ideia na cabeça e sem um pau de selfie na mão, a sensação térmica dos 450 anos da Cidade Maravilhosa é a de Deus e o diabo na terra do sol. Nesse caldeirão, que vem das tramas, Tamoios e tramoias entre Mem de Sá e os Tupinambás, qual é a do parangolé?

É a aventura de viver no Rio de puleiro, digo, de Janeiro, onde a Baía é mais suja que pau de galinheiro. Durma-se com uma piada pronta dessa… E desperte na Princesa, porque o galo de Barcelos vai cantar na freguesia do Meu Bem, Volto Já!, ó pá.

Manejando o Leme da alegria, o bloco, que está na rua há 21 anos, mistura e manda o axé do solar Hélio Oiticica, do carioquíssimo baiano Glauber e do malandro (sem querer querendo) Chaves no enredo O parangolé do galo na terra do sol: não contavam com nossa astúcia, Meu Bem!. Nem com o bom humor que veste a camiseta do sol na cabeça. Ela é o parangolé que faz o folião se entregar: eita, Corisco, que risco de você gostar!

No fim das contas, quem vai da pajelança Tupinambá para a performance parangolê-lê-ô-lá-lá, volta da matemática de Oswald de Souza para o Manifesto de Oswald de Andrade. Na tabuada de Momo, os 450 da feliz-cidade mostram que “a alegria é a prova dos nove”. Alá-lá-ô, Alá-lá-ô, je suis carnavalesco, Meu Bem!.

Anúncios

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Blocos de rua, Crônicas e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s