Amigos cariocas.


É bom ter amigos. É ótimo ter amigos com boa memória, e é uma maravilha ter amigos generosos. Joao Pimentel reúne essas três características. Fiquei lisonjeado, envaidecido, nesse carinhoso registro do parceiro, assim, ao lado de cariocas maravilhosos: Maria Oiticica, a supermãe do amigo; Narciso Doval – meu ídolo e do Papa Francisco – carioca-argentino responsável, pelo me gosto pelo Flamengo (confesso aqui, a boca pequena, que torci pelo tricolor, time no qual Doval jogava quando voltei ao Rio – fugindo de la represión – em 1976); meu amigo, o menino, Noca da Portela, cada dia mais jovem e mais convicto de que o mundo pode melhorar; Milton Barraca Do Uruguay quem me devolveu o mundo, perdido no exílio, com seu “Choripan”, sua alegria e seu compromisso com a vida e, claro, meu querido amigo de muitos e carnavais e parceiro, o mineiro Toninho Geraes. Acrescento aqui, meu querido e saudoso amigo, carioquíssimo, Ted Boy Marino e meu parceiro paraense, carioca mor, @ Djalma Junior sem o qual o Rio não seria o Rio. Não tenho como deixar de registrar os filhos cariocas, Gabriel e Daniela e minha neta, a carioquíssima Alice, que veio, como todo mundo sabe, do pais das maravilhas.
Quase finalizando, registro o encontro com uma carioca de Copacabana, de alma suburbana, que viu desfilar na sua infância, na Estrada da Água Grande, o Cacique de Ramos e que hoje, roda a baiana no Leme. Depois disso Janja, não tenho como deixar de propor uma nova parceria.  Mando inbox uma primeira e fico no aguardo da segunda.

http://odia.ig.com.br/diversao/2015-03-03/joao-pimentel-rio-de-janeiro-gosto-de-quem-gosta.html

Anúncios

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s