Exercícios


Compartilho artigo do historiador Luiz Alberto Simas sobre o mito da índole pacífica da sociedade brasileira.

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-03-23/luiz-antonio-simas-o-medico-e-o-monstro.html

 

 

As identidades nacionais funcionam, em grande parte, por meio de “comunidades imaginadas”. Na medida em que não existe nenhuma “comunidade natural” em torno da qual se possam reunir as pessoas que constituem um determinado agrupamento nacional, ela precisa ser inventada, imaginada.

Nos diversos processos de formação dos Estados Nacionais a cultura desempenhou um papel importante uma vez que é necessário criar laços imaginários que permitam ligar pessoas que, sem eles, seriam simplesmente indivíduos isolados, sem nenhum “sentimento” de terem qualquer coisa em comum.

 

A partir do enunciado acima explique as questões a seguir:

 

  • Os laços ou símbolos criados, imaginados, na sociedade brasileira para produzir esse sentimento de pertencimento são derivados da cultura erudita, da cultura de massa ou da cultura popular?  Em que contexto histórico eles foram inventados?
  • Qual o contexto histórico que nos permite afirmar que o velho projeto de integração nacional foi consolidado?

 

 Tendo por base conceito de cultura, tal como tem sido elaborado pela moderna antropologia, analise os itens abaixo e, a seguir, assinale a alternativa correta.

  1. A coerência de um habito cultural somente pode ser analisada a partir do sistema a que pertence.
  2. Em qualquer sociedade dada somente alguns membros aprendem as normas e regras estabelecidas a partir da vivência e experiência na cultura.

III. O pensamento antropológico mostrou que com exceção das sociedades do primeiro mundo, os povos não geraram uma identidade cultural própria.

  1. No que concerne à elaboração de sus sistemas culturais o que há de natural na espécie humana é sua característica de variação cultural

 

  1. Há apenas um item certo
  2. Há penas dois itens certos.
  3. Há apenas três itens certos
  4. Nenhum item está certo.
  5. Todos os itens estão certos.

 

Questão. A Semana da Arte Moderna de 1922 propunha a renovação no domínio da produção artística afirmando a defesa da nacionalização das fontes de inspiração do artista brasileiro. A preocupação principal é a de apresentar o moderno como essencialmente nacional. Verifica-se uma preocupação do projeto modernista com a tradição e com a valorização das classes populares. Analise as proposições abaixo e assinales (F) para as falsas e (V) para as verdadeiras.

 

(  ) Há uma preocupação do movimento modernista com o resgate do Barroco, como os contos sobre a natureza e com o Parnasianismo, como estilo simples da linguagem.

(  ) O Manifesto Pau-Brasil, de Oswald de Andrade, expressa uma concepção de que modernizar a arte brasileira implica em identifica-la com as tradições nacionais populares.

(  ) O quadro de Tarsila do Amaral, O Abaporu, nome indígena que significa: aba (homem) e poru (come) é uma clara referência a necessidade de incorporação dos modelos culturais europeus.

(   ) Tupi or not Tupi, that is the question. Paráfrase da fala de um personagem de Shakespeare: To be or not to be” ressignificada por Oswald de Andrade é considerada um ato antropofágico.

(    ) O maestro e compositor Villa-Lobos foi um dos mais ativos participantes da Semana foi muito bem recebido pelo público ao incorporar na sua orquestra instrumentos de congada, tambores e uma folha vibratória de zinco.

Assinale a alternativa que contém a sequência correta, de cima pra baixo.

 

  1. F – F – V-  F-  V
  2. F – V – F –V –F
  3. V-  F-  F-  V – F
  4. F – V – F – V – F
  5. V- V-  F-   F – V.

 

4ª Questão: Em Formação do Brasil Contemporâneo Caio Prado Júnior argumenta que na formação da sociedade brasileira o “sentido da colonização” é estruturado para a exploração de recursos naturais em proveito do comércio europeu. Os elementos característicos da organização econômica colonial são a grande unidade produtora, seja agrícola, mineradora ou extrativa, orientada sempre por um objetivo exterior, voltado para fora do país, para satisfazer o comércio internacional. A grande propriedade, a monocultura e o trabalho escravo estão na origem da concentração extrema da riqueza que caracteriza a economia colonial. Essa peculiar configuração que dá o “sentido da colonização” está na base das dificuldades para superar as características coloniais e estabelecer-se como uma nação moderna. Considere as opções a seguir sobre o termo “sentido da colonização” na perspectiva da interpretação de Caio Prado Júnior.

  1. O termo “sentido da colonização” faz referência a instauração de uma colônia destinada a fornecer ao comércio europeu alguns gêneros tropicais ou minerais de grande importância para a metrópole.
  2. O termo “sentido da colonização”’ indica que a economia colonial brasileira foi estruturada para atender os interesses econômicos da sociedade brasileira.
  • O termo “sentido da colonização” marca a dificuldade da sociedade brasileira em se estabelecer como nação;

Marque a alternativa correta.

  1. As afirmativas I e II estão corretas e a afirmativa III está errada.
  2. Todas as afirmativas estão erradas.
  3. Todas as afirmativas estão corretas.
  4. As afirmativas I e III estão corretas e a afirmativa II está errada.
  5. As afirmativas I e II estão erradas e a afirmativa III está correta.

 

Questão: “Se no Rio de Janeiro não ocorreu um movimento modernista nos moldes de São Paulo, foi porque os contextos históricos dessas cidades eram distintos. A ideia de organizar um movimento para discutir a questão da identidade cultural brasileira não encontrou muitos adeptos no Rio de Janeiro”.  Segundo o registro de Monica Velloso o intercâmbio cultural entre artistas, intelectuais e as camadas populares tendia a ocorrer preferencialmente nos seguintes espaços sociais? Assinale a opção incorreta.

 

  1. Espaços formais, como a academia, os salões de arte, os conservatórios de música e teatros.
  2. Nas ruas da cidade, nos coretos das praças.
  3. Nas casas de santo – como a da “tia” Ciata.
  4. Nas diversas manifestações carnavalescas.
  5. Nos cafés e nas festas de igreja – como a da Penha.

 

5) Apesar de não ter deixado nada escrito, Sócrates é considerado um dos maiores filósofos da humanidade. É o personagem central da maior parte dos diálogos de Platão. O ponto de partida da filosofia socrática encontra-se no fato de que:

A técnica de “bem compor discursos, de bem usar a palavra, de bem falar sobre as coisas” abria, na democracia grega, uma boa oportunidade de obtenção do poder político. O sucesso na política “se confundia com o sucesso pessoal, com a vida bem-sucedida, com a própria felicidade”. Os filósofos que negavam a existência da verdade absoluta e que se dedicavam a ensinar técnicas de persuasão são historicamente conhecidos como:

Dioniso, filho de Zeus e da mortal Sêmele, princesa de Tebas, era um deus misterioso chamado de “ O que nasceu duas vezes”. “No panteão grego, Dioniso é um deus à parte. É um deus errante, vagabundo, um deus de lugar nenhum e de todo lugar. Ao mesmo tempo, exige ser plenamente reconhecido ali onde está de passagem, ocupar seu lugar, sua preeminência, e sobretudo assegurar-se de seu culto em Tebas, pois foi lá que nasceu. Entra na cidade como um personagem que vem de longe, um estrangeiro excêntrico. Volta à Tebas como à sua terra natal, para ser bem recebido e aceito, para, de certa forma, provar que ali é sua morada oficial. A um só tempo vagabundo e sedentário, ele representa, entre os deuses gregos, segundo a fórmula de Louis Gernet, a figura do outro, do que é diferente, desnorteante, desconcertante. É também, como escreveu Marcel Detienne, um deus epidêmico. Como uma doença contagiosa, quando ele aparece em algum lugar onde é desconhecido, mal chega e se impõe, e seu culto se espalha como uma onda”. (Fragmento de Dioniso em Tebas de Jean-Pierre Vernan).

Considerando que o mito pode ser uma forma de conhecimento, observe as afirmativas a seguir

  1. Do ponto de vista do conhecimento a verdade do mito obedece a critérios empíricos e científicos de comprovação.
  2. O mito não se justifica, não se fundamenta, não se presta a questionamento nem à crítica ou à correção.

III.O mito busca explicações definitivas acerca do homem e do mundo, tem por objetivo explicar por que a vida é assim como é, logo, sua verdade independe de provas.

  1. Os mitos são as primeiras teorias e explicações sobre a origem do cosmo (mundo/universo), dos seres vivos, sobre se há vida depois da morte e sobre as relações entre o céu e a terra.

.

 

“Mais que saber identificar a natureza das contribuições substantivas dos primeiros filósofos é fundamental perceber a guinada de atitude que representam. A proliferação de óticas que deixam de ser endossadas acriticamente, por força da tradição ou da ‘imposição religiosa’, é o que mais merece ser destacado entre as propriedades que definem a filosofia”. (OLIVA, Alberto; GUERREIRO, Mario. Pré-socráticos: a invenção da filosofia. Campinas: Papirus, 2000. p. 24.) UEL 2004 com adaptações.

Assinale a alternativa que apresenta a “guinada de atitude” que o texto afirma ter sido promovida pelos primeiros filósofos.

Com relação aos momentos históricos que marcaram de forma definitiva o nascimento da nova visão de mundo e de conhecimento produzida pela ciência moderna, podemos destacar:

  1. A valorização do poder do Estado moderno proporcionado pelo capitalismo já consolidado.
  2. O humanismo renascentista que colocou o homem no centro do conhecimento.
  • A revolução científica e sua ênfase no conhecimento baseado na observação, na experimentação e na verificação de hipóteses, substituindo o argumento metafísico.
  1. A valorização do individualismo e do espirito critico pela Reforma Protestante

 

Analise as afirmativas a respeito do período renascentista.

  1. O Renascimento significou um retorno ao estudo do pensamento da antiguidade clássica e     uma continuação da visão de mundo medieval.
  2. O pensamento renascentista colocou o homem em segundo plano e revalorizou a relação com o divino a partir da retomada do conhecimento greco-romano.
  • Renascimento afetou diretamente o poder da Igreja Católica a partir da defesa da liberdade do homem.
  1. O movimento renascentista colocou o homem como figura central no desenvolvimento da ciência e da arte.

 

10ª Em suas Meditações Metafísicas, Descartes se enfrenta ao problema da dúvida generalizada sobre o conhecimento.  Se é possível duvidar de tudo, é possível, inclusive, duvidar que se está pensando. Não obstante, isto resulta contraditório porque o mesmo processo de dúvida é um ato do pensamento. Assim, mesmo que os sentidos nos enganem e não possamos saber se o que percebemos é a realidade, podemos ter a certeza indubitável de que estamos pensando. A partir dessa certeza, Descartes passa a provar a existência do sujeito pensante, pois se há pensamento deve haver um sujeito que pense e não pode existir pensamento sem sujeito. Por tanto, se penso, logo existo. Desta forma:

 

 

 

 

11ª A experiência da subjetividade privatizada, a experiência de sermos sujeitos capazes de decisões, sentimentos emoções privados só se desenvolve, se aprofunda e se difunde amplamente numa sociedade com determinadas características. As grandes irrupções da experiência subjetiva privatizada ocorrem, geralmente, em situações de crise social, política e cultural quando normas, valores e costumes firmemente arraigados são questionados dando lugar a novas visões de mundo. Entre os fatores que possibilitaram a construção de uma sociedade que permite o desenvolvimento desses processos de individualização podemos identificar:

 

12º  Para Milton Santos a globalização é o estágio supremo da internacionalização e uma nova forma de totalitarismo ou, como ele prefere, de globalitarismo. Nesta nova etapa do capitalismo o mundo inteiro torna-se envolvido em todo tipo de troca: técnica, comercial, financeira e cultural. A produção e a informação globalizadas permitem a emergência de lucro em escala mundial, buscado pelas firmas globais, que constituem o verdadeiro motor da atividade econômica. Com relação ao atual processo de globalização marque a questão incorreta.

 

 

13 No artigo o Nascimento do Hospital, Foucault mostra que a ruptura entre a medicina clássica e a medicina moderna é resultado da própria positividade do saber com seus objetos, métodos e conceitos diferentes propostos novos dispositivos disciplinares de controle do espaço e do tempo que tem lugar na sociedade moderna. Para Foucault, a disciplina, entendida como técnica do exercício do poder e elaborada, em seus princípios fundamentais, durante o século XVIII é uma das grandes invenções da modernidade.  Com relação a esse poder disciplinar, leia atentamente as afirmativas abaixo e indique a única alternativa correta: considere a única alternativa incorreta: (0,5 pontos)

 

  • A disciplina exerce seu controle, não sobre o resultado de uma ação, mas sobre seu desenvolvimento. Trata-se de uma arte do corpo humano que permite controlar o próprio gesto.
  • A disciplina é uma técnica de poder que implica numa vigilância ocasional e intermitente sobre os indivíduos.
  • A disciplina implica um registro continuo que tem por alvo e resultado os indivíduos em sua singularidade.
  • A disciplina é, antes de tudo e fundamentalmente, uma arte de distribuição espacial dos indivíduos.
  • A disciplina é o processo técnico unitário pelo qual a força do corpo é com o mínimo ônus reduzida como força política e maximizada como força útil.

 

14ª Para os autores discutidos em sala (Richard Sennett e Norbert Elias) a vida urbana requer um tipo de atividade especial e sofisticada, um grupo de habilidades que o autor chama de “civilidade”, isto é, “a atividade que protege as pessoas umas das outras, permitindo, contudo, que possam estar juntas. Para ele, usar uma máscara é a essência da civilidade uma vez que as máscaras permitem sociabilidade pura, distante das circunstâncias do poder, do mal-estar e dos sentimentos privados das pessoas que as usam. Considere as questões a seguir e marque a única questão que não está contemplada na noção de civilidade.

 

  1. A civilidade tem como objetivo proteger os outros de serem sobrecarregados com nosso peso.
  2. A noção de civilidade indica que ela deve, assim como a cultura, ser pública.
  3. A noção de civilidade implica um desinvestimento nas relações com os outros e com o mundo da experiência.
  4. É o entorno deve ser “civil”, afim de que seus habitantes possam aprender as difíceis habilidades da civilidade
  5. A civilidade também significa uma cidade que se apresenta a seus residentes como um bem comum.

 

15  Para Anthony Giddens a sociedade moderna desenvolve formas institucionais específicas. Entre elas podemos citar: Exceto.

  1. A)     A formação dos estados nacionais.
  2. B)     A dependência por atacado da produção de fontes de energia inanimadas.
  3. C)     A transformação em mercadoria tanto de produtos materiais quanto do trabalho assalariado.
  4. D)     Um processo de urbanização acelerado.
  5. E)      Uma sociedade hierarquicamente organizada.

 

16ª  Considerando as ideias centrais que definem a utopia liberal desde o século XVIII e o neoliberalismo no final do século XX podemos citar:

Marque a opção incorreta.

  1. Desregulação de todos os mercados, em particular do dinheiro e do trabalho.
  2. Políticas de inclusão econômica e social.
  3. Promoção de programas de reformas administrativas, previdenciárias e fiscais, e um corte violento no gasto público.
  4. Flexibilização do mercado de funcionários públicos, corte das contribuições sociais, reforma da previdência social.
  5. O mínimo de Estado possível.

 

17ªA Doutrina Truman foi o eixo norteador da Política externa americana no início da Guerra Fria e que antecedeu em alguns meses o Plano Marshall, do qual não pode dissociar-se. Os objetivos do Plano Marshall eram, à exceção.

  1. Integrar o ocidente europeu à economia americana.
  2. Adequar a imensa defasagem entre os dólares e o ouro existentes nos EUA e a falta deles entre os aliados ocidentais.
  3. Reconstruir a sociedade capitalista global.
  4. Ajudar na recomposição da economia soviética.
  5. Recompor a economia europeia.

 

18ª A lei não nasce da natureza, junto das fontes frequentadas pelos primeiros pastores; a lei nasce das batalhas reais, das vitórias, dos massacres, das conquistas que têm sua data e seus heróis de horror: a lei nasce das cidades incendiadas, das terras devastadas; ela nasce com os famosos inocentes que agonizam no dia que está amanhecendo. FOUCAULT, M. Aula de 14 de janeiro de 1976. In: Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

O filósofo Michel Foucault (séc. XX) inova ao pensar a política e a lei em relação ao poder e à organização social. Com base na reflexão de Foucault, a finalidade das leis na organização das sociedades modernas é

  1. A) combater ações violentas na guerra entre as nações.
  2. B) coagir e servir para refrear a agressividade humana.
  3. C) criar limites entre a guerra e a paz praticadas entre os indivíduos de uma mesma nação.
  4. D) estabelecer princípios éticos que regulamentam as ações bélicas entre países inimigos.
  5. E) organizar as relações de poder na sociedade e entre os Estados.

 

            19ª Com base na leitura de Marx, identifique e explique

  • A contradição principal do modo capitalista de produção?
  • Qual o papel que o proletariado desempenha, segundo este autor, na história da humanidade?

 

20 Para Michel Foucault o Poder não é uma essência. O poder se exerce! Não há um poder central, as relações de poder estão em todos os lados. Para Foucault a modernidade se caracteriza pelo desenvolvimento de uma modalidade específica do poder que ele denomina de poder disciplinar.

  • Quais as características principais dessa modalidade de poder?
  • Foucault aponta uma dualidade constitutiva do sujeito moderno. Num jogo de palavras afirma que o sujeito é um sujeito que está sujeito. Explique.

 

 

Anúncios

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Aulas complementos.. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s