Poesia numa hora dessas?


Poesia numa hora dessas?

Andréa Estevão

bandeirasvolpi

A casa toda revirada

Poeira pelos cantos

Geladeira vazia.

Contas, obrigações, prazos

E poesia numa hora dessas.

Aquele cravo vermelho bonito

que eu não comprei,

me perdoa, São Jorge.

É tempo de cravos,

É noite de São João.

Frio, sem chuva, São Pedro.

O forró comendo solto

E daqui não vejo balão,

nem ouço o baque

Dos saltos.

Diante da folha em branco,

Não sei se danço quadrilha ou

Envio correio elegante.

Será que acontece aquele beijo

Dentro do túnel do amor?

Nada pode dar errado,

Quando se abraça a alegria

Com tantos braços.

Mas o beijo, ele mesmo,

Quando acontece,

Encobre triângulo,

Abafa som de sanfona,

só fica o bumbo do peito,

e os estalidos lá da fogueira.

Qual pescaria,

Nem sempre vem prenda.

Ah, meu Santo Antônio,

Mas quando vem (?) (!) (…

Anúncios
Esse post foi publicado em Textos e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s