CCK Buenos Aires


Ontem, finalmente, consegui visitar o antigo Correio Central de Buenos Aires, o prédio, construído em 1927, foi transformado em Centro Cultural no inicio do século XXI e rebatizado como CCK http://www.cck.gob.ar/ . Nem Kafka, nem Kundera. O K e de Kirchner.

O CCK, alem de de uma extensa programação musical, abriga o projeto de Guillermo Kuitca, Les Visitants. Kuitca  nos oferece um passeio entre as diferentes esteticas de vinte e tres artistas internacionais: Jean-Michel Alberola (Francia), Nobuyoshi Araki (Japón), Raymond Depardon (Francia), Claudine Nougaret (Francia), William Eggleston (Estados Unidos), Nan Goldin (Estados Unidos), Alair Gomes (Brasil), Douglas Gordon (Reino Unido), Rinko Kawauchi (Japón), Seydou Keïta (Mali), Guillermo Kuitca (Argentina), David Lynch (Estados Unidos), Daido Moriyama (Japón), J.D. Okhai Ojeikere (Nigeria), Tony Oursler (Estados Unidos), Artavazd Pelechian (Armenia), Patti Smith (Estados Unidos), Hiroshi Sugimoto (Japón), Juergen Teller (Alemania), Wolfgang Tillmans (Alemania), Agnès Varda (Bélgica), Adriana Varejão (Brasil), Francesca Woodman (Estados Unidos).

http://www.cck.gob.ar/eventos/les-visitants-guillermo-kuitca-y-la-coleccion-de-la-fondation-cartier_2310

O centro abriga também a exposição Amor es Amor. El matrimonio igualitario según Jean Paul Gaultier . A mostra e uma celebração de todas as formas possíveis de encontros matrimoniais que a contemporaneidade comporta: –heterossexual, gay, transgênero, intercultural e interracial, numa clara afirmação da diversidade e da luta contra homofobia tão atual quanto importante nestes tempos sombrios.

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Artes Visuais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s