BLOCO DE SEGUNDA


Hoje seria dia de desfila no Bloco de Segunda mas, como todos sabemos, este ano #carnavalem casa. Mesmo assim convido a todos a lembrar de desfiles anteriores ou a conhecer um pouco da história deste bloco.

Deixo o link e solicito a favor de fazer a inscrição no canal do youtube: https://www.youtube.com/channel/UCUd7_bORhcmznJ1khSka9Fw/featured

O Bloco de Segunda veio à luz num 7 de setembro de 1987. Era segunda-feira, era dia da Independência e o bloco estreou com uma ocupação carnavalesca na rua Voluntários da Pátria, em de Botafogo. Ficou decidido, a partir daí, que o bloco seria o primeiro a dar sentido a um dia espremido entre o domingo de carnaval e a terca-feira gorda.

Uma turma que frequentava a praia de Ipanema e o Botequim do Barbas, resolveu colocar o bloco na rua. O argumento era: “se os militares vão às ruas comemorar o dia da Independência, por que não os civis?”  

Uma arara irreverente, desenhada em cinquenta tons de azul, vermelho e amarelo, por Betuca, voa, no rodopio da porta-bandeira desde o primeiro desfile. Por sinal, o enredo foi atualíssimo: Sai da Lama Pindorama – desejo que nos acompanha faz tempo.

A concentração e o épico recuo da bateria, na Cobal, são momentos singulares de encontro e congraçamento. O bloco conta com o balanço da Mocidade Unida do Santa Marta, sob a regência do Mestre Felipão, e o auxílio luxuoso dos Mestres Tião Belo e Caliquinho. Bateria nota 10!

Os compositores que entram na disputa, vão tomando pé das nuances do humor irreverente, traço identitário do Bloco de Segunda. Com a língua afiada do deboche e da sátira política os sambas subvertem a história oficial.

São três décadas de uma festa comandada por mulheres “de Segunda, corpo de 20, com requinte de viver na boemia” e fazer folia nas ruas de Botafogo e do Humaitá. Todas “belas, guerreiras e do bar”, nesse fevereiro de pandemia, vão ficar em casa. Vão se guardar para quando o próximo carnaval chegar. Namastê.

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Blocos de rua, Carnaval, Cultura, Documentarios, Letras e sambas. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para BLOCO DE SEGUNDA

  1. jorgesapia disse:

    Republicou isso em A festa é boa para pensar.e comentado:

    Hoje seria dia de desfila no Bloco de Segunda mas, como todos sabemos, este ano #carnavalem casa. Mesmo assim convido a todos a lembrar de desfiles anteriores ou a conhecer um pouco da história deste bloco.

    Deixo o link e solicito a favor de fazer a inscrição no canal do youtube: https://www.youtube.com/channel/UCUd7_bORhcmznJ1khSka9Fw/featured

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.