Arquivo da tag: Crônicas

Sambas do bloco Simpatia é Quase Amor

Nos carnavais de 2000, 2005 e 2010 tive o prazer de mostrar, em desfiles memoráveis, o trabalho realizado com ótimas parcerias. Meus Sambas vencedores do Bloco Simpatia

Publicado em Blocos de rua, Letras e sambas | Marcado com , | Deixe um comentário

36 anos da criação do Clube do Samba

O bloco carnavalesco Clube do Samba completa  36 anos de história e de resistência, fundado em 1979 por João Nogueira e pela fina nata do samba carioca é considerado, como lembra meu parceiro Janjão Pimentel,  “um dos mais belos quilombos … Continuar lendo

Publicado em Blocos de rua, Carnaval | Marcado com | Deixe um comentário

Cidade de tantos encantos

Copacabana tem essas coisas. Enquanto Botafogo e Vasco disputam no Maraca. Aqui em Copa,  torcedores do Internacional de Porto Alegre, marcam presença no Copinha.

Publicado em Crônicas | Marcado com | 1 Comentário

Fundação José Saramago: http://www.josesaramago.org

Corrupção à inglesa http://caderno.josesaramago.org/40869.html

Publicado em Crônicas | Marcado com | Deixe um comentário

O Charme da simpatia.

Na mesma trilha do movimento modernista Artimanhas deixa claro ao que veio em plena ditadura militar. Contra a cultura oficial Contra a cópia A favor da liberdade Contra o irremediável. O bloco carnavalesco O Charme da Simpatia foi criado em … Continuar lendo

Publicado em Blocos de rua, Documentarios | Marcado com | Deixe um comentário

A cultura do capital é anti-vida e anti-felicidade

Publicado originalmente em Leonardo Boff:
A demolição teórica do capistalismo como modo de produção começou com Karl Marx e foi crescendo ao longo de todo o século XX com o surgimento do socialismo e pela escola de Frankfurt. Para realizar…

Publicado em Crônicas | Marcado com , | Deixe um comentário

Vida Carioca nº 13 – Um dia na Central (Década de 1950). Transporte público.

Neste curta, disponibilizado pelo historiador Hugo Caramuru, há um registro do transporte público no início da década de 1950 e cenas da vida cotidiana da população carioca.

Publicado em Crônicas | Marcado com | Deixe um comentário