Nietzche, Marx, Engels e uma saudade indizível de Sérgio Porto.

Marx e HegelNietzche, Marx, Engels são nomes que causam arrepios em muita gente com saudade da ditadura.O nomes aparecem nos argumentos dos promotores Cassio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Araújo pedindo a prisão preventiva do ex- presidente Lula. A leitura do pedido me remeteu à música de  Zeca Baleiro e Mestre Ambrósio: Vô Imbolá. (https://youtu.be/IODXYlJ5fdo)

imbola vô imbolá
eu quero ver rebola bola
você diz que dá na bola
na bola você não dá…

Eu vou e vou vender a minha vã
a minha vã filosofia

Mas na verdade, confesso, tenho uma saudade indizível de Sérgio Porto.

Nossa saúde mental está em frangalhos: o cinismo que tomou conta de nós.

Compartilho, sem tirar uma vírgula, o comentário que o professor Carlos Fidelis Ponte​, postou nas redes sociais . A questão está sendo discutida há tempo e a preocupação com o futuro mediato e imediato é cada dia maior. . Não é só na sociedade brasileira que as coisas tomaram o sem rumo que tomaram ou melhor, o rumo mesmo, de uma elite que, como já discutiu Jurandir Freire, produz dois movimentos perturbadores: o “alheamento em relação ao outro” – entre outros exemplos encontramos esse comportamento nas discussões rasteiras sobre a diminuição da maioridade penal -, e o que Freire Costa denomina de “irresponsabilidade em relação a si mesmo”, isto é,  comportamento de uma elite que nunca respeitou as regras do jogo, que sempre fez questão de derrubar o tabuleiro. Nossa saúde mental está em frangalhos.

“Estamos presenciando a institucionalização do cinismo. O abandono de qualquer resquício de pudor. Colocando o Congresso abaixo do nível dos bordéis mais vagabundos. A instituição foi capturada por um bando de canalhas. É indecente e abusivo o que esta corja está fazendo com o Congresso Nacional. Estão substituindo o debate civilizado pela esperteza de moleques que envergonham e insultam o parlamento. A continuar dessa maneira, todos nós pagaremos um alto preço. Estamos chocando o ovo da serpente”.

Simpatia do brasileiro é um mito, diz sociólogo Manuel Castells

Para meus alunos de Inclusão e Fundamentos, segue a entrevista de Manuel Castells

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/05/1630173-internet-so-evidencia-violencia-social-brasileira-afirma-sociologo-espanhol.shtml?cmpid=facefolha

Incluo dois artigos relacionados:

1) http://oglobo.globo.com/opiniao/a-banalidade-do-exterminio-14402323

2) a coluna de Flavia de Oliveira no Jornal O Globo de 24/05/2015

http://oglobo.globo.com/sociedade/violento-por-natureza-16246374?topico=flavia-oliveira