Ninguém merece!


Terça-feira 31 de março fui dormir cedo embalado no som amigo do janelaço. Fui dormir pensando nos companheiros que se incorporaram a essa disritmia coletiva com a clara consciência que não era só uma manifestação contra os pusilânimes que nos governam, mas também, contra a política de esquecimento que tenta ser hegemônica no mundo contemporâneo.

Fui dormir pensando na necessidade e importância de recuperar a memória das atrocidades cometidas, em nome do mercado e do capital, no breve século XX, como diria Hobsbawn.

Recuperar a memória para que não se repitam essas atrocidades. Esse discurso tem hoje um sentido maior do que teve quando formulado. E tem, por que vemos aqui e acolá, tentativas e claros esforços dos neo fascistas contemporâneos para retomar essas práticas.

O discurso do general que ocupa a vice presidência – quem, como todos sabemos, não é confiável – deixo claro a vontade de voltar aos tempos da escuridão modernizadora que se implantou em 1964 abrindo caminho e, dando o péssimo exemplo, para que outras experiências autoritárias se organizassem na no cone sul da américa latina.

Pois bem, fui dormir cedo. Quando estava começando a cochilar, entre 23:30 e meia noite talvez, ouvi, entrando pela janela, uma gritaria ensurdecedora. Ouvi fora! Saiu! Foi embora! Salve, salve…e coisas similares.

Saltei da cama sobressaltado, corri para a sala a procura do controle remoto que é, desde o início da quarentena, minha ligação com o mundo exterior. Enquanto tateava no escuro os botões do aparelho, a imagem do cramulhão caindo se formava na minha cabeça.

Entre incrédulo e esperançoso consegui apertar o número da emissora hegemônica e a imagem que se apresentou na minha frente era, percebi logo, o da expulsão de alguém na casa de BBB BIG BOSTA BRAZIL. Demorei observando essas imagens não mais que trinta segundos, tenho mais o que fazer. Soube por aí que é programa campeão de audiência. Aliás, complemento, fui agora no Deus Google e vi que o paredão teve 1 bilhão de votos. Acho que isso explica muita coisa deste Brasil pouco varonil.

Confesso que a enorme decepção não foi capaz de me tirar o sono. Dormi e esqueci da história até a manhã de hoje. Não tenho como não pensar no paradoxo da situação. O sujeito ficou confinado, em segurança, sei lá quanto tempo e agora, por decisão popular, vai para outro confinamento que poderá ser pior que o anterior. Que azar!

Lembrei que uma ex-aluna chegou um dia radiante em sala de aula informando que que tinha feito mais de 150 ligações para o BBB. Não lembro se foram para salvar ou condenar alguém. Lá se foi o salário minguado da menina e, também, minha tranquilidade, pois voltamos a nos encontrar no semestre seguinte.  Ninguém merece!

Sobre jorgesapia

Abduzido pela folia foi tentar entender esse fenômeno no bacharelado de Ciências Sociais da UFF e no Mestrado em Sociologia do IUPERJ. Com sua identidade secreta dá aulas de sociologia, cultura brasileira e Teoria Social do Carnaval em diversas instituições. Entre um semestre e outro, despede-se de seus alunos com um Meu Bem, Volto Já, saudação que acabou dando nome ao bloco que fundou no Leme. Durante o reinado de Momo compõe sambas para diversos blocos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.
Esse post foi publicado em Crônicas. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Ninguém merece!

  1. jorgesapia disse:

    Sempre pior que a ficção Mariel. Abraços

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.