Manifesto aceleracionista

Manifesto Aceleracionista

Os mercados e o suicídio coletivo.

Leitura recomendada para os Macristas, Aecistas, e Petistas com vocação Peronista,isto é, aqueles que acenam com uma mão a Deus e a outra ao Diabo.

Karl Polanyi tinha deixado claro em A Grande Transformação, as implicações sociais que a economia de mercado tinha produzido desde seu apogeu no século XIX. Hoje, Joseph Stiglitz, Nobel da Economia, esclarece que “os mercados jamais serão capazes de coordenar as iniciativas necessárias para tais mudanças. Seu papel é permitir a acumulação de riquezas, não garantir a satisfação das necessidades humanas. Para tanto, requerem-se investimentos e planejamento públicos: ‘gastos em infraestrutura, educação, tecnologia, meio ambiente e mudanças estruturais em todo canto do mundo’”.

http://outraspalavras.net/blog/2016/01/01/stiglitz-como-evitar-a-grande-queda-livre/

Cuidado, os alquimistas estão chegando!

 

A caminho da sociedade rentista neo-feudal ou na direção de um neo-fordismo.

O discurso de Nick Hanauer, que se define como um plutocrata, propõe um neo-fordismo para evitar o que ele chama de sociedade rentista neo-feudal. Chama a atenção para duas  categorias utilizadas pelo psicanalista Jurandir Freire Costa no texto A ética democrática e seus inimigos públicos, a saber a ideia de alheamento em relação ao outro e a irresponsabilidade em relação a si, traços que orientam o comportamento da elite ou, desta camada plutocrática. Interessante notar que na sua defesa do que  chama de Novo Capitalismo, (não confundir com a terminologia de Sennett)  reproduz  o diagnóstico marxista da proletarização e pauperização da classe trabalhadora com seus riscos inevitáveis para a continuidade do sistema.

Cuidado, os alquimistas estão chegando

http://www.ted.com/talks/lang/pt-br/nick_hanauer_beware_fellow_plutocrats_the_pitchforks_are_coming

 

Privatização e Mercantilização do Sofrimento.

Compartilho o vídeo publicado por Akil Denaha na página do facebook Esquizoanálise.

“Marketing de campos prisionais, novas subjetividades de sociedades de controle, lógica do judiciário & penetração no campo social os fluxos capitais desconstroem o campo social e a lógica do saber e ampliam as potências de esquizofrenia, ela própria um tipo de fluxo contra normativas e tradições e entre umas das funções do mercado é criar novos territórios de saber e controle social” (Denaha)

http://vimeo.com/96243525

Banidos do mundo Globalizado

Matéria de Cândido Grzybowski do IBASE

Banidos no mundo globalizado

Simpatia do brasileiro é um mito, diz sociólogo Manuel Castells

Para meus alunos de Inclusão e Fundamentos, segue a entrevista de Manuel Castells

http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/05/1630173-internet-so-evidencia-violencia-social-brasileira-afirma-sociologo-espanhol.shtml?cmpid=facefolha

Incluo dois artigos relacionados:

1) http://oglobo.globo.com/opiniao/a-banalidade-do-exterminio-14402323

2) a coluna de Flavia de Oliveira no Jornal O Globo de 24/05/2015

http://oglobo.globo.com/sociedade/violento-por-natureza-16246374?topico=flavia-oliveira

Globalização e exclusão. Artigo de Marcio Tavares D’amaral

globalizao-aspetos-econmicos-financeiros-culturais-1-638O mundo tem sete bilhões de pessoas, mas quatro bilhões estão fora dele.

http://oglobo.globo.com/cultura/globalizacao-e-nos-com-isso-16036933

Incorporo o texto de Eric Nepomuceno publicado em Carta Maior:

http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/A-Europa-e-os-naufragos-da-esperanca-I-/4/33529